Acesso ao Portal Paulinas

Ciberteologia
Revista de Teologia & Cultura

Edição nº 54 – Ano XIII – Janeiro/Abril 2017 – ISSN: 1809-2888

As resistências contra Amoris Laetitia dentro e fora da Igreja

Resumo: De forma geral, as resistências contra Amoris Laetitia (2016) são as mesmas que hoje se apresentam contra a Igreja Católica. De fora da Igreja há aplausos para a pessoa do papa Francisco, mas permanecem rejeições, críticas e indiferença em relação à instituição da Igreja (F. C. Caldeira, 2016). A admiração pelo papa em nada tem aumentado a atração pela instituição que ele preside, nem entre os católicos. Especificamente, a doutrina e os ensinamentos sobre o matrimônio são rejeitados pela maioria dos católicos. O papa tenta ir ao encontro dos casais católicos, destacando a misericórdia e o amor de Deus contra a rigidez de uma prática meramente legalista. Todavia, isto trouxe à tona a resistência de bispos e leigos que defendem exatamente o poder absoluto da hierarquia no que diz respeito às leis sobre o matrimônio. Além disso, é de supor que a grande maioria dos católicos nem sequer se tenha interessado pela Amoris Laetitia, e muito menos a tenha lido. Um olhar crítico sobre seu conteúdo revela que o próprio papa Francisco parte de um conceito de Igreja que a identifica com a hierarquia. Desse modo, as suas abordagens novas de matrimônio e família perdem boa parte da sua credibilidade e do seu dinamismo.